logo dedcnova

logo sc sdc




Monitoramento e Alerta

Saiba o que é um sistema de monitoramento, aviso, alerta de emergência.

O alerta/aviso antecipado é o fornecimento de informações, através de pessoas e instituições identificadas, para que indivíduos expostos a uma ameaça tomem ações em tempo suficiente para evitar ou reduzir seus riscos e se prepararem para uma resposta efetiva (UNEP, 2012).

Os sistemas de aviso e alerta estão inseridos no contexto de gestão de riscos e desastres, mais especificamente na fase da preparação. No entanto, a estruturação e operação de sistemas de alerta permeiam as fases de preparação e resposta. De acordo com a EIRD (2006), os sistemas de alerta são estruturados com base na integração de quatro elementos:

  1. Conhecimento do risco: fornece informações essenciais para elencar prioridades de estratégias para mitigação e prevenção e designar sistemas de alerta antecipado.
  2. Monitoramento e Previsão: fornecem estimativas antecipada dos riscos potenciais que comunidades, economias e meio ambiente estão expostos.
  3. Disseminando informação: sistemas de comunicação são necessários para disseminar mensagens de avisos e alertas para locais potencialmente afetados, assim como agências governamentais locais e regionais. As mensagens precisam ser confiáveis, sintéticas e simples de serem entendidas pelas autoridades e público.
  4. Resposta: coordenação, boa governança e planos de ação apropriados são pontos chave para um sistema de alerta antecipado efetivo, assim como percepção pública e educação são aspectos críticos da mitigação de desastres.

area-risco

 

Figura 1. Quatro elementos básicos de um sistema de alerta antecipado (adaptado de EIRD, 2006).

  1. os principais conceitos de boletins hidrometeorológicos, alertas e níveis de criticidade

Boletins hidrometeorológicos: boletins são elaborados com base na previsão do tempo, clima ou sistemas hidrológicos e visam antecipar a ocorrência de ameaças, como chuvas intensas, tempestades, vendavais, granizo, inundações, alagamentos, estiagens, entre outros. Conforme o estado de criticidade, os boletins hidrometeorológicos podem configurar um aviso, uma atenção ou uma observação.

Aviso: um aviso é emitido quando um evento meteorológico ou hidrológico está acontecendo, é eminente ou  provável. Um aviso significa que as condições do tempo configuram uma ameaça a vida ou propriedade. As pessoas no caminho de tempestades, por exemplo, precisam tomar ações de preparação e/ou proteção.

Atenção: uma atenção é usada quando o risco de um evento meteorológico ou hidrológico adverso é significativo, mas sua ocorrência, quanto à localização ou ao momento, ainda é incerta. Uma atenção significa que um evento adverso é possível. As pessoas devem ter um plano de ação para a ameaça e devem estar atentas para informações posteriores e possíveis avisos, especialmente quando estão planejando uma viagem ou atividades ao ar livre.

Observação:uma observação é usada quando uma ameaça meteorológica ou hidrológica está ocorrendo, é eminente ou provável, mas com menor seriedade que os avisos as atenções, que causam alguma inconveniência e que, caso uma precaução não seja exercida, é possível levar para situações de ameaça a vida ou propriedade.

Já os alertas são gerados a partir de dados observacionais.

Alerta: o alerta é um sinal, sistema ou dispositivo de vigilância que tem por finalidade alertar sobre um perigo ou risco eminente ou previsível a curto prazo e que deixa a defesa civil de prontidão. Para o acionamento de alertas geralmente são utilizados dados de monitoramento em tempo real, tais como estações pluviométricas (que medem quantidade de chuva), ou fluviométricas (que medem nível de um córrego ou rio).

Estados de alerta ou de criticidade: são níveis ou estados em que agentes de defesa civil (técnicos federais, estaduais, municipais e/ou agentes comunitários) ou operadores de barragens, por exemplo, são notificados de uma possível ameaça, como inundação gradual, enxurrada ou deslizamento. Os estados de alerta podem ser acionados automaticamente com base no monitoramento em tempo real de estações hidrometeorológicas ou a partir de análises combinadas do monitoramento e previsão.

Os termos utilizados para os diferentes estados de criticidade dos alertas podem variar de região para região. Algumas instituições utilizam por exemplo os estados de observação, atenção, alerta e alerta máximo; outras podem utilizar níveis de risco, como alerta de risco moderado alto e muito alto. É importante destacar que os critérios que deflagram os diferentes estados de criticidade são específicos para cada tipo de ameaça. Por exemplo os critérios para deflagar alertas de deslizamentos são diferentes daqueles utilizados para deflagar alertas de inundações.

Os diferentes estados de criticidade e respectivas ações decorrentes devem ser previamente definidos nos planos de contigência e determina quando a defesa civil fica em estado em prontidão ou inicia de forma ordenada as operações de preparação e resposta.

Saiba as principais instituições responsáveis por emirtir boletins, avisos e alertas

No nivel federal o CENAD é responsável por sistematizar, analisar e disseminar, no contexto do Sistema Nacional de Proteção e Defesa Civil, os avisos e alertas de instituições como o INMET, CPTEC/INPE,  ANA, CPRM, CEMADEN e centros estaduais e municipais.

Em Santa Catarnia, a Epagri/Ciram é a instituição estadual designada para emitir e comunicar avisos hidrometeorológicos. A SDC tem a responsabilidade de receber, analisar e disseminar os avisos e alertas de instituições federais, estaduais, regionais, municipais e locais no contexto do Sistema Estadual de Proteção e Defesa Civil.


© 2012 | Joomla - v2.5 | Todos os Direitos Reservados |