logo dedcnova

logo sc sdc




Cidades Resilientes

CidadesResilientes

Sua cidade é resiliente? Conheça o conceito e as ações do governo nesta área.

campanha resiliente


Uma cidade resiliente é aquela que tem a capacidade de resistir, absorver e se recuperar de forma eficiente dos efeitos de um desastre e de maneira organizada prevenir que vidas e bens sejam perdidos. 

O lançamento no Brasil da Campanha Construindo Cidades Resilientes: Minha Cidade está se Preparando, da Estratégia Internacional para a Redução de Desastres (EIRD), da Organização das Nações Unidas (ONU), é uma iniciativa da Secretaria Nacional de Defesa Civil (Sedec), do Ministério da Integração Nacional, e pretende sensibilizar governos e cidadãos para os benefícios de se reduzir os riscos por meio da implementação de 10 passos para construir cidades resilientes. 

Conscientes de que o município é quem realiza a primeira resposta em situações de crises e emergências, é fundamental que os governos locais e a sociedade civil organizada unam esforços, integrem todos os setores da sociedade e desenvolvam soluções inovadoras que engajem suas cidades na redução das vulnerabilidades. Para isso, é necessário que o município se reconheça como público alvo e agente promotor e realizador da Campanha. 

O objetivo da ação é aumentar o grau de consciência e compromisso em torno das práticas de desenvolvimento sustentável, como forma de diminuir as vulnerabilidades e propiciar o bem estar e segurança dos cidadãos. 

A redução de riscos de desastres ajuda na diminuição da pobreza, favorece a geração de empregos e oportunidades comerciais, a igualdade social, ecossistemas mais equilibrados e ainda atua nas melhorias das políticas de saúde e de educação.

Fonte: http://www.integracao.gov.br/cidadesresilientes/

  

MUNICÍPIOS PARTICIPANTES DE SC


1. Araranguá

2.  Blumenau

3. Criciúma

4. Florianópolis

5. Itajaí

6. Jaraguá do Sul

7. Joinville

8. Lages

9. Ponte Alta

10. Rio do Sul

11. Tubarão

 

 

__________________________

 

 

Arquivos para Download

  icon Brochura Marco de Ação Hyogo

  icon Formulário de inscrição

  icon Cidades Resilientes

 

 

COMO PARTICIPAR 

Como Cidade Modelo

 Sua cidade já atingiu grandes conquistas em direção à resiliência? Sua gestão pública e seus cidadãos estão dispostos a integrar o portfólio de cidades resilientes e mostrar boas práticas em pelo menos cinco dos dez passos da campanha? Como governante você está disposto a dar oportunidade para que outros governos locais aprendam com sua experiência? Torne-se uma Cidade Modelo e compartilhe seu sucesso com o mundo. As Cidades Modelo ganharão destaque na campanha, e certamente favorecerão investimentos internos e externos num futuro próximo. 

Como Cidade Resiliente

Se você é um gestor público que está iniciando o trabalho em redução de risco em seu município, investindo no planejamento e na gestão de risco local, assuma o compromisso de ampliar a resiliência e segurança frente a desastres e faça parte da campanha. 

Se você integra um grupo comunitário, ONG ou membro de outra organização em seu município e deseja apoiar a campanha, comprometa-se como os objetivos da campanha trabalhando com o governo local para aumentar a resiliência a desastres em sua cidade. 

Como Patrono de Cidade Modelo

Como representante de uma cidade resiliente você pode nomear um líder comunitário, prefeito, governador ou outra figura influente de sua localidade que esteja disposto a participar da campanha para encorajar e apoiar outros municípios. 

10 PASSOS 

A campanha propõe uma lista de passos essenciais para construção de cidades resilientes que podem ser implantados por prefeitos e gestores públicos locais. A lista origina-se das cinco prioridades do Marco de Ação de Hyogo, um instrumento chave para ações de redução de riscos de desastres. Alcançando todos, ou mesmo alguns dos dez passos, as cidades passarão a adotar uma postura resiliente. Estruture seu Conselho Municipal e, junto aos gestores públicos locais, participe agora mesmo da Campanha! 

1. Estabeleça mecanismos de organização e coordenação de ações com base na participação de comunidades e sociedade civil organizada, por meio, por exemplo, do estabelecimento de alianças locais. Incentive que os diversos segmentos sociais compreendam seu papel na construção de cidades mais seguras com vistas à redução de riscos e preparação para situações de desastres. 

2. Elabore documentos de orientação para redução do risco de desastres e ofereça incentivos aos moradores de áreas de risco: famílias de baixa renda, comunidades, comércio e setor público, para que invistam na redução dos riscos que enfrentam. 

3. Mantenha informação atualizada sobre as ameaças e vulnerabilidades de sua cidade; conduza avaliações de risco e as utilize como base para os planos e processos decisórios relativos ao desenvolvimento urbano. Garanta que os cidadãos de sua cidade tenham acesso à informação e aos planos para resiliência, criando espaço para discutir sobre os mesmos. 

4. Invista e mantenha uma infraestrutura para redução de risco, com enfoque estrutural, como por exemplo, obras de drenagens para evitar inundações; e, conforme necessário invista em ações de adaptação às mudanças climáticas. 

5. Avalie a segurança de todas as escolas e postos de saúde de sua cidade, e modernize-os se necessário. 

6. Aplique e faça cumprir regulamentos sobre construção e princípios para planejamento do uso e ocupação do solo. Identifique áreas seguras para os cidadãos de baixa renda e, quando possível, modernize os assentamentos informais. 

7. Invista na criação de programas educativos e de capacitação sobre a redução de riscos de desastres, tanto nas escolas como nas comunidades locais. 

8. Proteja os ecossistemas e as zonas naturais para atenuar alagamentos, inundações, e outras ameaças às quais sua cidade seja vulnerável. Adapte-se às mudanças climáticas recorrendo a boas práticas de redução de risco. 

9. Instale sistemas de alerta e desenvolva capacitações para gestão de emergências em sua cidade, realizando, com regularidade, simulados para preparação do público em geral, nos quais participem todos os habitantes. 

10. Depois de qualquer desastre, vele para que as necessidades dos sobreviventes sejam atendidas e se concentrem nos esforços de reconstrução. Garanta o apoio necessário à população afetada e suas organizações comunitárias, incluindo a reconstrução de suas residências e seus meios de sustento. 

ok IDEIAS PARA O ALCANCE DOS 10 PASSOS: 

 

1. CONVENCER
Aumentar o grau de compromisso com a urbanização sustentável, a qual reduzirá o risco de desastres em todas as esferas governamentais e contribuirá para todos os níveis da tomada de decisões. 
 Como?
Ao organizar mesas redondas e promover diálogos sobre políticas entre as autoridades nacionais e locais em fóruns nacionais, regionais e internacionais, emcabezados por prefeitos, com o propósito de obter "pactos" nacionais e locais de compromisso.
2. ESTABELECER CONEXÕES
Estabelecer alianças de trabalho entre as autoridades locais e nacionais, junto com atores locais , os grupos da sociedade civil, o setor acedêmico e as organizações de especialistas. 
Como?
Ao criar iniciativas duradouras de colaboração entre os diferentes atores em um marco de uma "Aliança de Governos Locais para a Redução do Risco de Desastres" e mediante plataformas e grupos regionais de trabalho
3. INFORMAR
 Incrementar o grau de consciência sobre o risco de desastres urbanos e informar as pessoas sobre a maneira que os governos locais e cidadãos podem abordar o risco como parte do planejamento de desenvolvimento, a construção de escolas e hospitais mais seguros e o fortalecimento dos serviços que prestam os governos locais. 
 Como?
Ao organizar reuniões públicas, iniciar diálogos, promover simulados e outras atividades locais, levar a frente atividades de grande notoriedade e fazer participantes os meios de comunicação, comprometer-se com escolas e hospitais seguros (o sistema de compromisso em linha) e planejar outras atividades de sensibilização pública. 
4. APRENDER
Aumentar o grau de conhecimento e melhorar o acesso as ferramentas, a tecnología e oportunidades para o desenvolvimento de capacidades para os governos e atores locais 
Como?
 Ao desenvolver, em colaboração com pesquisadores, profissionais, centros de capacitação e cidades que servem como modelos exemplares, um "Marco de Hyogo" para as autoridades, mediante um processo de aprendizagem, capacitação, cooperação técnica e orientação de cidade a cidade sobre a forma de executar áreas específicas do MAH no âmbito local.
5. MEDIR O PROGRESSO
Comunicar o progresso e o êxito alcançado pelos governos locais na consecução dos Dez Passos para a Resiliência das Cidades 
Como?
Ao formar parte da geração de informes globais sobre a execução do MAH e ao recompilar e compartir boas práticas e experiências.

 

 

 

 


© 2012 | Joomla - v2.5 | Todos os Direitos Reservados |