logo dedcnova

logo sc sdc




Governo Federal repassa R$ 21 milhões para reforma da Barragem de José Boiteux

Foram assinados dois convênios para o repasse de R$ 21 milhões para a recuperação da Barragem Norte, em José Boiteux, na tarde desta sexta-feira, 20. O recurso tem origem do Ministério do Desenvolvimento Regional, mas a obra será executada pela Defesa Civil Estadual. A solenidade ocorreu na Câmara de Vereadores do município, com a presença do governador Carlos Moisés e do ministro Gustavo Canuto. Os recursos, que terão uma contrapartida estadual de pouco mais de R$ 300 mil, permitirão a construção do canal extravasor e a recuperação de equipamentos para a correta operação da estrutura.

IMG 4030

Assinatura do Convênio para repasse dos recursos. Foto: Flávio Jr, DC SC.

“Nós sabemos da importância dessa barragem para a contenção das cheias e entendemos que ela precisa operar com segurança. Essa ação do governo federal é um ato de responsabilidade. Era uma demanda antiga”, frisou o governador.

O ministro Canuto ressaltou o trabalho realizado pela Defesa Civil de Santa Catarina e que a recuperação da barragem tem por objetivo evitar quaisquer problemas em caso de fortes chuvas na região. “Esse convênio vem para fazer essa obra e garantir a segurança de toda a região do Vale do Itajaí, que tem 1,5 milhão de habitantes. Esse é um primeiro movimento para resolver essa situação”, afirmou o ministro Canuto.

Barragem Norte, em José Boiteux

Durante o ato na Câmara de José Boiteux, o governador também lembrou que o Estado ficou responsável por fazer um estudo de impacto socioambiental para a comunidade indígena que vive ao redor da barragem. Esse levantamento permitirá enumerar as reais necessidades da população nativa, afetada pela operação da estrutura.

Atualmente a barragem se encontra em operação, porém de forma precária. Segundo o chefe da Defesa Civil, João Batista Cordeiro Jr, o repasse do governo federal é fundamental para a diminuição de riscos. “Como hoje não há um canal extravasor, caso essa estrutura verta água, isso ocorrerá diretamente no solo, provocando erosão e dano à barragem em si. Os comandos elétricos e hidráulicos, que estavam danificados desde 2014, também serão recuperados. Ocorrerá ainda o cercamento de toda a estrutura, para que a gente tenha uma área de operação segura”, afirma Batista.


© 2012 | Joomla - v2.5 | Todos os Direitos Reservados |