logo dedcnova

logo sc sdc




Defesa Civil e indígenas do entorno da Barragem de José Boiteux buscam melhorias na qualidade de vida

Com o objetivo de promover a manutenção da Barragem de José Boiteux e também melhorias sociais para a comunidade indígena que vive no entorno da estrutura foi realizada reunião no Ministério da Justiça em Brasília. O encontro contou com a participação do Chefe da Defesa Civil de Santa Catarina, João Batista Cordeiro Júnior, do representante das oito aldeias indígenas do entorno da Barragem, Cacique Brasílio Priprá, e também de representantes da Secretaria Especial de Articulação Social do Governo Federal, Fundação Nacional do Índio (FUNAI) e Secretaria Especial de Articulação Nacional do Governo do Estado.

WhatsApp Image 2019 09 27 at 10.50.03

Durante a reunião foi entregue documento com a solicitação das lideranças indígenas. Foto: Ascom SAN

Durante a reunião foi entregue pelo cacique um documento solicitando que o estudo de impacto socioambiental, que será custeado pelo Governo do Estado, leve em consideração a possibilidade de utilização da estrutura, já existente da Barragem de José Boiteux, para a produção de energia elétrica.

A posição do Governo do Estado, através da Defesa Civil, vai de encontro aos anseios das lideranças indígenas. Desta forma está sendo solicitada autorização à FUNAI para que seja avaliada a produção de energia.

"Houve um grande avanço com as comunidades indígenas de José Boiteux e esta mudança se deu em face ao Governo do Estado estar preocupado também com o desenvolvimento social das famílias que moram na região", explicou Chefe da Defesa Civil.

Segundo ele,  quando as comportas são operadas, devido ao risco eminente de inundações no Vale do Itajaí, diversas famílias indígenas ficam isoladas. "O estudo de impacto socioambiental vai apontar quais são as benfeitorias necessárias para que a operação da Barragem não interfira na vida das pessoas que moram no entorno da Estrutura", destacou.

WhatsApp Image 2019 09 27 at 10.50.03 1

Reunião no MInistério da Justiça reuniu diversas entidades. Foto: Ascom SAN.

João Batista ressaltou que a produção de energia elétrica pode gerar os recursos necessários para as obras que devem ser realizadas e para a manutenção da Barragem. "Tantos os indígenas, como os não indígenas merecem a proteção do Estado e o investimento em melhorias", completou.

Nesse contexto a Defesa Civil catarinense está finalizando um Plano de Contingência para a Operação da Barragem. Todo o trabalho de campo já foi realizado e hoje, pela primeira vez, existem informações concretas da real situação de interferência da Estrutura na vida das pessoas. "Sabemos onde as casas estão localizadas, quantas pessoas residem, quais suas necessidades e até mesmo a quantidade de animais em cada propriedade no caso da operação da Barragem", finalizou.

Atualmente a Barragem de José Boiteux é a maior do sistema de contenção de cheias do Alto Vale do Itajaí, com capacidade total de armazenamento de 357 milhões de metros cúbicos de água. A construção iniciou em 1972 e foi inaugurada em 1992 pelo Governo Federal, que deixou algumas pendências. Dentre elas, o canal extravasor que não foi finalizado.

Na última semana foram firmados dois convênios com o Governo Federal para o repasse de R$ 21 milhões que serão usados na recuperação da Barragem. A obra será executada pela Defesa Civil do Estado. Os recursos permitirão o término do canal extravasor e a recuperação de equipamentos para a correta operação da Estrutura.

IMG 7056

O objetivo é o aproveitamento da estrutura já existente para a produção de energia elétrica. Foto: Flávio Ascom DC SC

 


© 2012 | Joomla - v2.5 | Todos os Direitos Reservados |