Projeto de Diagnóstico da Estiagem no Oeste será apresentado em Chapecó

ESTIAGEM

Na próxima terça-feira, 19, a Defesa Civil de Santa Catarina realiza em Chapecó,a apresentação do Projeto Diagnostico da Estiagem no Oeste. O evento ocorre, no Centro de Eventos do município, às 10h.

Participam do evento, o Governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo, o Secretário Nacional de Defesa Civil, Adriano Pereira, o Secretário de Estado da Defesa Civil, Milton Hobus e os técnicos da Udesc, que realizam os trabalhos de campo e que vão explanar a execução dos trabalhos no Oeste.

Para o Secretário de Estado da Defesa Civil, Milton Hobus, há necessidade de se utilizar a água com inteligência. Segundo Hobus, o Oeste é rico em água de qualidade e não dá para desperdiçar com poços artesianos irregulares. “A ação não é furar um poço artesiano. É instalar estações de tratamento compactas, fazer a rede de distribuição e garantir o bom atendimento dessas pessoas,” enfatizou.

Ainda na Região, estão previstas oficinas para elaboração do documento que vai conduzir os trabalhos com lideranças comunitárias, políticas, empresariais e agrícolas do Oeste de Santa Catarina.

Oficinas Estiagem Oeste de Santa Cataria:

Joaçaba – 21/05 – De 8h30 às 17h30;

Concórdia – 22/05 – De 8h30 às 17h30;

São Miguel do Oeste – 25/05 – De 8h30 às 17h30;

Chapecó – 25/05 – De 8h30 às 17h30;

Xanxerê – 25/05 – De 8h30 às 17h30;

Estiagem no Oeste:

Em um levantamento preliminar, a Defesa Civil de Santa Catarina estima que existam no Oeste mais de 50 mil poços artesianos ilegais. A SDC, preocupada com a exploração irregular do bem natural, decidiu estudar possibilidades de ordenamento do uso inteligente da água, que passa corta a Região.

Segundo o trabalho preliminar das instituições envolvidas no levantamento de informações, a estiagem no Oeste do Estado é considerada um dos fenômenos que causa emergência e desastres naturais com maior período de durabilidade. O comparativo é com situações de enchentes e deslizamentos.

De acordo com dados estatísticos da Defesa Civil de Santa Catarina, entre 2002 e 2012 foram registradas mais de mil (1003 ocorrências) decretações de situações de emergência, somente superada pelas enxurradas (1028 ocorrências). “Os especialistas já cogitam inversão do efeito do El Niño, para os próximos cinco anos,” lembrou Hobus.

Amparada nos longos períodos de seca, a Defesa Civil do Estado firmou parceria com a Udesc, em abril de 2014, para elaboração de um Diagnóstico e Resiliência da situação.  Os trabalhos tiveram início em 2015. A primeira etapa foi finalizada em março deste ano. Os serviços se concentraram na catalogação de documentos referentes ao setor.

A segunda etapa já iniciada, neste primeiro semestre, consiste na interação com a comunidade. Moradores, agricultores, lideranças, administradores públicos, gestores das águas e todos os segmentos serão ouvidos para compilar a informação e chegar ao consenso de quais as alternativas mais convenientes para minimizar os efeitos de seca/estiagem no Oeste.

Também serão realizadas oficinas em diversos municípios, do Oeste. De acordo com o porto técnico da Udesc, serão 118 municípios abrangidos. Na microrregião de São Miguel do Oeste são 21 municípios, já em Chapecó serão 38 cidades, na microrregião de Xanxerê, 17 municípios, Concórdia, 15 e Joaçaba, 27. “Santa Catarina tem o 3º maior potencial hidrográfico do País,” finalizou Milton Hobus.